sábado, 30 de outubro de 2010

Poesia e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém... VII


Farto, fraco, falido,
Fatigado, forçado, fodido!*


A.R.


*Desculpem-me o modo burlesco e grosseiro (que pode também ser poesia), mas às vezes fica tão bem uma aliteração a desenhar um estado de espírito! Tenho dito!

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

"Punks not dead! " (nunca! mas mesmo nunca!)

J.hey, mais uma vez, com a publicação do seu ultimo post obrigou-me a recordar os saudosos "ramones" da cena musical portuguesa, dos anos 80´s e inicio dos anos 90´s!

Recordar Peste & Sida e Censurados é recordar os anos em que me deixei (à minha maneira) influenciar pelo punk à portuguesa! LOL

Em 2009, com uma nova versão do tema "Sol da Caparica (na minha bicla!)", os Peste & Sida ainda continuavam "a acreditar que o “mainstream” e a fama são efémeros e que é a força das convicções que marca pontos. Esta permissa tem (segundo eles) garantido a coerência da banda ao longo dos tempos..."

Assim, "e para libertar a malta", não podia de deixar aqui postar, também, esta magnifica interpretação punk levada a cabo pelos Censurados numa homenagem ao Zeca Afonso...


quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Eles estão de volta

Depois de anos desaparecidos, eles estão de volta... Editaram um CD em 2009 e agora em 2010 presenteiam-nos de novo com este WONDERLUSTRE...
Fica aqui uma amostra...

TGV Português em Testes Secretos!

Testes já executados no Alentejo!
E, não só
Reparem bem no fabuloso sistema automático de agulhas !!
E o sistema de controlo de posição. Melhor que através ao recurso do GPS.
Já agora............. Admirem a ligação Comboio- Cabo de Alta tensão feita pelo Engº . Maquinista, certamente licenciado pela Independente.



video

Ramoooooones

e quem é que está numa de roqueirada quem é quem é?


enjoy

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

The National no Porto!

A promotora Música no Coração já confirmou os concertos, avançando o preço dos bilhetes: entre 20 euros e 40 euros no Porto e de 30 euros a 35 euros em Lisboa.

Esta é a segunda visita dos National a Portugal para espetáculos fora de festivais; além do concerto da Aula Magna, em 2008, os autores de Alligator já atuaram nos festivais de Paredes de Coura (2005), Sudoeste TMN (2007 e 2009), Optimus Alive!08, Festival Manta (Guimarães, 2008) e Super Bock Super Rock (2010).

Fonte: Blitz

fiquem com um cheirinho...

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

El Baile 2 anos

E foi por falar nele que descobri isto... Deliciem-se!

Owen Pallett, o violinista que assinava como Final Fantasy e que é orquestrador privilegiado de nomes como Arcade Fire, Beirut ou Last Shadow Puppets, estará entre nós, nos dias 3 e 4 de Dezembro, na edição Super Bock em Stock deste ano... a decorrer (infelizmente só!) em várias salas da Avenida da Liberdade, em Lisboa.

Este festival urbano, "que promove a deambulação do público por vários espaços", já confirmou, também para a sua terceira edição, uma das maiores revelações do ano!

Com a visão futurista da soul e da pop concretizada no álbum de estreia “The Archandroid”, Janelle Monáe, é a diva de maior destaque (para os críticos) neste cartaz do Super Bock em Stock!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Parece (quase) impossivel...

Agora que J.hey fala do album "Funeral", lembrei-me que no mesmo dia que tive o prazer de conhecer "Arcade Fire", chegou-me também às mãos (ouvidos!) o álbum "Has A Good Home", do grupo (?) “Final Fantasy”!
Confesso que na altura (parecendo, para muitos, impossível hoje!) "Final Fantasy" cativou-me muito mais que Arcade Fire!

Sob o nome de "Final Fantasy", Michael James Owen Pallett , conterrâneo dos Arcade fire, apesar de apresentar uma linguagem muito próxima destes, cativou-me mais, por conseguir demarcar-se, à semelhança de Andrew Bird (já aqui falado por mim), pela sua performance; por ser ele próprio, em exclusivo, o único responsável (compositor, violinista, teclista e vocalista) daquilo que apresenta a quem o deseja ouvir!

Para além de muitas outras, esta música "The CN Tower Belongs To The Dead ", encheu-me por completo, as medidas!

Nota: "Final Fantasy" deu origem a Michael James Owen Pallet ... assim é ele conhecido hoje!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Comunicado

Venho por este meio sugerir que ouçam à força toda o album Funeral dos Arcade Fire...é de capital importância que o façam! (pleeeeease :p)

domingo, 17 de outubro de 2010

"Words Fail Me" by The Sound

uma das bandas em que "colei" completamente nos últimos tempos e que me tem acompanhado nesta épica jornada que é o mundo académico!

enjoy

Beleza Americana

Resolvi partilhar convosco uma crítica ao filme da minha vida.

Um verdadeiro murro na indústria cinematográfica é aquilo que o primeiro filme de Sam Mendes, “Beleza Americana”, representa. Este drama avant-garde é uma verdadeira obra-prima lançada em 1999, vencendo vários Óscares da Academia, calando ao mesmo tempo vários críticos que se estavam cépticos quanto ao valor de Sam Mendes e ao carácter mais europeu/independente que marca esta longa-metragem.

Começando com flashbacks, o filme conta-nos a estória de Lester Burnham (Kevin Spacey), um homem de 42 anos que se encontra no meio de uma “crise de meia-idade”, odiado tanto pela sua esposa Carolyn (Annette Bening), como pela sua filha Jane (Thora Birch), que se sente extremamente sedado e adormecido. A nossa personagem principal conhece os vizinhos Fitts,: Ricky (Wes Bentley), um vendedor de droga que tem de enfrentar e ser como o seu pai, o Coronel Frank Fitts (Chris Cooper), uma pessoa extremamente homofóbica, patriota e que se define por um modo de estar na vida extremamente militar e formal. Ricky é um adolescente estranho, extremamente confiante, que filma obcecadamente Jane (que primeiro o odeia), acabando por se tornarem namorados. Lester tem uma vida miserável, tanto a nível social e conjugal, tendo mesmo uma esposa que o despreza. Carolyn é frígida, insegura e falsa (primeiro está a imagem, só depois vem a felicidade…) acaba por ter um caso amoroso com um dos seus rivais no ramo das imobiliárias: Buddy (Peter Gallagher), destruindo por completo o pouco que ainda restava do seu casamento com Lester. O renascer deste dá-se quando conhece Angela (Mena Suvari), a melhor amiga da sua filha e uma “cheerleader” que aparenta ser promíscua e confiante.
“Beleza Americana” retrata a vida de um homem que em menos de um ano morrerá, e sem que o saiba, renasce e deixa de parte a costela material da sua vida: os luxos, a vida de aparências, o emprego monótono, e a sua relação conflituosa com a sua esposa e filha. Ao apaixonar-se por Angela, Lester apercebe-se de que quer viver apenas de modo humilde, totalmente anti-materialista, e ser feliz. O filme é uma sátira à sociedade capitalista americana do final dos anos 90 do governo de Bill Clinton: uma crítica ao mundo da concorrência desleal das grandes empresas imobiliárias que caracterizou o segundo mandato de Clinton; uma sociedade consumista que se desliga do real e vive no artificial e que deixou de reparar nas coisas belas da vida (um saco de plástico a dançar no vento é o vídeo preferido de Ricky, um jovem aparentemente “chanfrado”, que ao longo do filme se revela frio e enfrenta o pai severo); os casamentos de aparências, uma sociedade que molda os adolescentes de acordo com o sonho americano… uma sociedade que deixou de viver (Carolyn é o melhor exemplo desta questão). A homofobia presente no Coronel Frank Fitts é outro dos pontos importantes do filme. Frank é um pai obcecado pela educação militar, republicana e severa do filho, e um homem triste que vive dentro de uma carapaça que o impede de ser o que ele realmente é: um homossexual. Este tipo de vivência social material e repressiva dos nossos desejos verdadeiros marcou uma era e curiosamente ainda marca a nossa.
Uma viagem aos subúrbios norte-americanos e sequências de histórias de amor aborda temas como solidão, beleza, tristeza ou ódio, sem deixar de lado as relações entre homens velhos e jovens raparigas, o consumo casual de drogas, a homossexualidade no Exército, sexualidade entre adolescentes, a obsessão pela vida dos vizinhos, o amor e ternura existentes entre as mais conflituosas famílias e a já mencionada cena do saco de plástico dançante, fazem com que “Beleza Americana” faça todos aqueles que vivem como Lester questionem se realmente estão mortos ou se ainda vão a tempo de renascer.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Tesourinho...

Bem, andava eu perdida em busca de novos sons quando me deparo com esta versão fantástica da música de Fernando Tordo tocada pelos Linda Martini... Ouçam e apreciem...


Ainda bem que há "Linhas cruzadas" na música nacional!

Manuela Azevedo, vocalista dos Clã, por mim considerada a melhor voz do panorama musical nacional, disse uma vez (cantando) que tinha um "Problema de Expressão", que "nem sempre encontrava o melhor termo" nem "o melhor modo" para "dizer que amava".
Afim, dizia desconsolada que quando "as palavras lhe custavam a sair" tudo devia ser fácil e "ser como no cinema", tudo devia ser expresso na "a língua inglesa", "que ficava sempre bem".

Felizmente, depois de muitos anos a ouvir muitos portugueses a cantar (mal) em inglês, tudo isto está a mudar; e este sentimento, ironicamente cantado pela Manuela Azevedo, vai desvanecendo a olhos vistos!
Hoje, são cada vez mais os artistas que, para melhor conseguir transmitir os seus sentimentos ou os seus estado de almas, optam por cantar, excelentemente bem, em Português!
A prova disso mesmo, encontra-se neste magnifico dueto...

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Anotem... que vale a pena!

Sexta feira dia 29 de Outubro, por apenas 3€, no café concerto do Centro Cultural de Vila Flor, os Madame Godard, que editaram no passado mês de Junho o primeiro albúm a sério, em cerca de dez anos de existência, levam à cena o seu mais recente trabalho... “Galapagos”!

Mente sã, corpo são!

Este é o exercício que Vos proponho para hoje...Oxigenar a mente!
Hoje, tropecei em Sia Kate Isobelle Furler, uma cantora australiana de música pop conhecida no meio artistico como Sia. Assim, e como não consegui ficar indiferente àquilo que vi e ouvi, decidi partilhar com vocês a deliciosa musica que acompanha este sensacional vídeo! Espero que gostem!
Ah! outra coisita...façam mesmo o titulo desta musica vos aconselha: respirem-na! Podem ter a certeza que não se vão arrepender!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Haruki Murakami «Norwegian Wood»

Dois anos mais tarde, reencontrei novamente Haruki Murakami. Sputnik, Meu Amor foi o meu primeiro contacto com o popular escritor japonês: uma obra que achei razoável, mas que não me tinha fascinado ao ponto de a colocar – nem ao autor – num patamar elevado, talvez porque na altura estava a ler obras de outros autores que aprecio mais, ou porque simplesmente o livro não era aquele que eu deveria ter escolhido para me iniciar no mundo de Murakami. Não sei ao certo a resposta, mas Norwegian Wood teve um impacto em mim que não esperava.
O romance tem lugar nos anos 60 e retrata a vida de Toru Watanabe, um jovem que acaba de se mudar para uma Universidade privada em Tóquio. Mas as primeiras páginas do livro não se passam no Japão nem nos anos 60; passam-se na Alemanha dos anos 80 onde a nossa personagem principal recorda com carinho e muita nostalgia os tempos que viveu na faculdade, os amigos que tinha, o modo de vida que promíscuo que adoptava e o grande amor da sua vida: Naoko. Ao longo da obra são-nos dados a conhecer o Japão que conhecemos, desde o nacionalismo, revoluções nas universidades (creio que aconteceram mesmo) - que não resultaram em nada e cujos resultados das mesmas foram o regresso à extremamente bem organizada vida - e uma “estranha” admiração do autor pela literatura e música do ocidente. A verdade é que as personagens lêem constantemente livros de autores europeus e norte-americanos (Thomas Mann, John Updike, Hermann Hesse, Joseph Conrad, Fitzgerald…) do mesmo modo que consomem música clássica e a pop dos Beatles, que como se sabe têm uma canção com o mesmo nome deste livro. Watanabe e os seus amigos divertem-se a beber em excesso, a tocar guitarra e cantarolar canções dos Beatles e de outras bandas do género da época – lembremo-nos que decorria a guerra do Vietname -, enquanto o resto da sociedade japonesa vive como a conhecemos: pontual, rigorosa e extremamente metódica.

De facto, esta atracção do autor pelo ocidente tem-lhe causado variadíssimas críticas por parte da crítica japonesa de há muitos anos para cá… Mas a verdade é que o Ocidente, especialmente a literatura britânica e norte-americana, sempre esteve bem servida em termos de criativos e, portanto, não me estranha nada que este mesmo escritor tenha outro livro intitulado Kafka à Beira-mar. Não obstante as referências ocidentais, esta obra está repleta de referências ao dia-a-dia japonês da década de 60 e 70, de pormenores deliciosos e surpreendentes diálogos por parte de personagens diferentes mas igualmente interessantes (sem esquecer a sumptuosa forma como as montanhas e as cidades são descritas, especialmente no inverno). Não perca mais tempo a ler as minhas palavras: descubra a beleza melancólica de Norwegian Wood Hpor si mesmo.

RESPEITO


domingo, 10 de outubro de 2010

Anuncio Mcdonald´s ......

video

Poesia e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém... VI

Como o pêndulo do relógio,
Mecanicamente baloiço...

Corro... corro... corro sempre!
Que alvoroço! Que bruma!
Corro todos os segundos
Sem nunca ir a parte alguma...

A. R.

sábado, 9 de outubro de 2010

The boy...Behind the man... esta é a verdeira poesia de Jonh Lennon!

Chegou hoje (08/10/2010) aos cinemas dos Estados Unidos, véspera do 70º aniversário do nascimento de John Lennon, "Nowhere Boy", filme de Sam Taylor-Wood que revela o lado sensível e inseguro do ex-beatle em sua problemática adolescência. (Ler tudo aqui)

Imagine...

Hoje ao abrir o computador, a minha home page - google - homenageava Jonh Lennon pelo seu 70 aniversário.


Depois disso questionei-me: - quem nunca teve John Lennon como ídolo?

Face a esta pergunta, e por que acredito que poucos serão, este fim de semana como desafio, sugiro a todos os dEUSES deste Conclave, que façam uma breve homenagem ao musico pacifista, a este ícone da sociedade contemporanea... que foi (e é) John Lennon!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Estados de espirito... :) :) :)

GINGATESOS - 1º Passeio de Ginga RDT

REPÚBLICA DOS TESOS

Estados de espirito....



LINDA MÚSICA...

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Gotan Project



"No basta con tener la voz más melodiosa para entonar un tango. No. Hay que sentirlo, además. Hay que vivir su espíritu." (Carlos Gardel)

O estilo musical de Gotan Project encaixasse ao Tango, introduzindo elementos da musica eletrônica...

Leia Mais Aqui

...




Saudades de tempos que eu não vivi

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Estória de um homem sem nome!

Em vez de fotografia, esta semana gostaria de partilhar no "CONCLAVE" e com os seus "dEUSES" uma das minhas "estórias reais", por acaso ocorrida no passado no Porto!


Hoje conheci, apenas por mero acaso um "remexe contentores de lixo"!  
Estacionei o meu carro junto a um dos muitos contentores do lixo existentes na Invicta, e enquanto esperava deparei com um homem, aparentando os seus 60 anos, a remexer os contentores do lixo, pensando eu que procurando comida! Será um sem abrigo que busca nestes contentores alguma comida para sobreviver? Interrogava-me eu! Não, de facto aquele homem, de barba por fazer, estava afinal a trabalhar para o seu patrão, ele próprio! Como mais tarde me confidenciou, esta era a sua profissão nos últimos 20 anos. Depois de o ver remexer e retirar alguns objectos de dentro do contentor, reparei que o homem, fazia uma 2º escolha aos objectos retirados do contentor!
- Boa tarde, tem aí uma bela caneca. Uma caneca antiga que vale dinheiro? disse eu
- Boa tarde, se quiser pode ficar com ela por 5 euros! Retorquiu o homem.
- Não quero obrigado, apenas reparo que é antiga e que lhe pode render algum dinheiro!
-Sim, é para levar a uma casa de antiguidades, sempre me rende dois ou três euros, voltou a frisar o homem!
E lá continuou ele a observar cuidadosamente os objectos e a separa-los. Uns castiçais de zinco, um pequeno faqueiro de aperitivos, um cesto em metal, umas salvas, etc!
- O senhor vive disto? voltei à conversa.
-Sim. Respondeu - esta é a minha profissão nos últimos 20 anos!
- Mas vive sozinho, é um sem abrigo? perguntei
- Não meu jovem, vivo ali mesmo naquele Bairro do Sisa Vieira.
De repente, vai ao bolso, saca de um imen e começa a passá-lo pelas peças. - Este enganou-me bem (referia-se ao cesto) e estas salvas pareciam Prata, mas não servem para nada...não rendem nada.
Voltou então a colocar as duas salvas no lixo, mas o cesto esse voltou a guardá-lo.
- Sabe, por este metal ( o tal que não se agarrava ao imen) ainda me dão 4 euros por quilo.
- Quanto faz por dia? voltei ao ataque
- Depende, posso fazer 30 euros, como posso fazer 80. Já tenho encontrado Ouro, Prata e há uma meia dúzia de anos até encontrei 105 contos num contentor, tudo em notas!
- Isso sim foi um achado...pena não ser todos os dias! disse-lhe. - Posso tirar-lhe uma foto? perguntei-
- Pode, mas não me apanhe a cara...quero continuar a ser mais um anónimo deste país...contento-me com uns contentores de lixo, de preferência com lixo pesado...disse-me com um sorriso!
Lá foi colocando o resto dos restos no seu saco...
- Bom aqui já não faço mais nada. Obrigado pela conversa e boa tarde!
- Boa tarde...retribui eu.
E lá foi o homem com um saco numa das mãos e o cesto de ferro antigo na outra

Hoje é dia Mundial do Animal!!!


Hoje, 4 de Outubro, celebra-se o dia mundial do animal. Esta data é assinalada desde 1930 e celebra-se em mais de 45 países.
Neste dia os homenageados são os nossos amigos e companheiros animais. Não só devemos amar e respeitar os animais que vivem nas nossas casas, como também devemos reflectir e lembrarmo-nos dos muitos animais que sofrem às mãos humanas.

Pelo menos hoje, faça um gesto para ajudar um animal sem abrigo

sábado, 2 de outubro de 2010

Há uma luz que nunca acaba...

Muitos são aqueles que infelizmente não tiveram o prazer de conhecer os The Smiths, no seu auge!

Morrisey, o mítico vocalista da banda, marcou uma geração (a minha) não só pelas suas inesqueciveis canções e letras, mas também, pelo lançamento da moda dos, Jean´s com a beira virada para cima, das popas nos cabelos (com muito gel), das gabardinas (roubadas dos nossos pais) e dos óculos de massa pretos (dos nossos avós), enfim, reeditou (em nós) a moda dos anos 50, o estilo rock a billy, nos anos 80´s, que fez muito furor no meu liceu!
A ele devo, por ter adoptado este estilo, as minhas primeiras conquistas!LOL
Ora vejam a figurinha que nós faziamos naqueles brilhantes tempos... de grandes conquistas!

Para comemorar 20 anos passados sob o lançamento de colectânea Bona Drag (roupa bonita), onde constam as canções mais populares da sua carreira a solo, Morrisey, reedita na próxima semana, numa edição britânica, o tema "Everyday is Like Sunday"!

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Poemas... de poetas portugueses...

Florbela Espanca

Languidez

Fecho as pálpebras roxas, quase pretas,
Que poisam sobre duas violetas,
Asas leves cansadas de voar...

E a minha boca tem uns beijos mudos...
E as minhas mãos, uns pálidos veludos,
Traçam gestos de sonho pelo ar...

Mesmo aqui ao lado! Vale a pena ouvir!

Carla Carvalho, a ex-vocalista do grupo Gnomon (uma banda cá da terra), inicia agora, conjuntamente com mais um ou outro elemento da extinta banda, um novo e prometedor projecto musical!

A conhecer, deixo-vos aqui este vídeo de divulgação de Xícara , com "imagens recolhidas durante a sessão de gravação deste trabalho...

“Xícara” nasce do gosto pela poesia e pela música tradicional portuguesa. Pretende prestar, musicalmente, homenagem a poetas de todo o país, relembrando tradições e enaltecendo a língua camoniana. Fruto duma rebuscagem da etnografia musical portuguesa, este projecto encerra numa união entre melodias tradicionais e poesia. ..."